A dois meses do fim do prazo, nem todas as UBS de Brusque têm prontuário eletrônico

Sistema integrado é exigência do governo; caso descumpram, municípios perdem recursos

unidades de saúde (Copy)
Das 41.688 Unidades Básicas de Saúde do país, 10.134 já têm o prontuário eletrônico -
Crédito: Arquivo Município

Nos próximos dois meses, todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) do país terão de implantar o sistema de prontuário eletrônico, segundo o Ministério da Saúde. Caso não implantem, os municípios perderão recursos do governo federal. Em Brusque, ainda há UBS que não têm o sistema.

Segundo a secretária de Saúde, Giselle Moritz, a falta de acesso à internet é o que impossibilita, por enquanto, o uso do sistema nos locais em que os médicos não têm acesso ao prontuário.

“Já faz uns cinco anos que já temos implantado. E isso facilita a vida. É muito bom. Nos que não há é porque ainda não passa cabo de internet na rua. Acho que em uns três postos não têm. No resto funciona normalmente”, explica a secretária.

Além das UBS, o prontuário eletrônico também já é utilizado na Policlínica Central, na Clínica da Mulher e no Centro de Especialidades Odontológicas.

Quanto ao prazo determinado pelo Ministério da Saúde, Giselle afirma que a integração restante do sistema tem previsão de ser concluída antes mesmo dos dois meses.

Exames

Embora também tenha atendimento SUS, o hospital Azambuja não integra o mesmo sistema de prontuário eletrônico da prefeitura de Brusque. Ainda assim, os médicos das UBS e dos demais atendimentos da Secretaria de Saúde podem ter acesso a exames realizados na casa de saúde.

“Nós disponibilizamos os resultados dos exames. De 2013 em diante temos os resultados armazenados no nosso sistema. Então o médico pode acessar entrando no nosso site em um espaço exclusivo”, explica o administrador do Azambuja, Fabiano Amorim.

No país

Segundo o Ministério da Saúde, das 41.688 Unidades Básicas de Saúde do país em funcionamento nos 5.506 municípios, 10.134 já têm o prontuário eletrônico. Dessas, 2.902 utilizam versões oferecidas gratuitamente pelo governo federal e 7.232 utilizam softwares próprios e privados.

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *