Notícia de Beltranas

#UmaMinaAjudaAOutra

Carnaval, né, gente? Desde que o mundo é mundo (e não dá para não lembrar daquela imagem clássica do homem das cavernas arrastando a mulher pelo cabelo) que a festa do “liberou geral” tem sua parte sombria, violenta, arriscada para as mulheres. Tudo por conta daquela antiga cultura que diz que no carnaval não pode dizer não. Aliás, nem precisa dizer sim: se foi para a folia, é porque quer.

Nada se cria, tudo se recicla!

É raridade quem não convive com aquela mania de “juntar tralha”, existem vários nomes para chamar quem guarda tudo: colecionadores, catadores, acumuladores… Como em tudo, há um nível saudável, até desejável, porém tenho que dizer que fico curiosa com aquelas pessoas que não guardam nada! Aqueles tipos meio nômades, ciganos, viajantes… Mesmo que eles quisessem, não há lugar! Desde a metade do mês estou envolvida com mudanças: de casa, de

Viva a comida!

Fico tão frustrada e fico me perguntando se mesmo depois de muita gente ter acesso a informação sobre a verdadeira alimentação saudável e a necessidade de ingerir nutrientes importantes para o bom funcionamento do organismo ainda continuam a comer aquela alimentação pobre e sem graça, pensando somente em números. Tudo bem que nem todos as pessoas têm essas informações e muitas vezes a mídia pode influenciar negativamente nesse aspecto, mas o

Varal de tempo

Estaciono o carro com dificuldade. Muito estreitinha a rua que dá na costureira aqui do bairro. Casinha charmosa, honrada de silêncio, porta sempre aberta, canteiro, roupas brancas impecáveis dando estética ao varal, pouca informação e muito o que dizer. Na pressa que nos infecta quase todos os dias agarro a sacola com a roupa pra arrumar, me arranco do carro e fecho a porta deixando um pedaço da minha saia

Um Viva aos Sonhadores!

Vi muita gente otimista com o novo ano. Todo começo parece fazer renascer a esperança. Ouvi muitas pessoas com desejos de ter um ano com mais tranquilidade, paz e estabilidade. Que 2017 trouxesse uma trégua, um frescor para as vidas reviradas em 2016. Mas, as notícias para quem acompanha estudos de cenários talvez não estejam alinhadas com os votos de calmaria. Estamos em meio a uma transição cultural, mercadológica e

Aquela história do turbante

Eu pensei em escrever sobre a questão do turbante que virou polêmica nos últimos dias nas redes sociais, mas estou começando a ficar com muita preguiça do assunto. Então vou escrever bem rápido, antes que eu desista de uma vez. Se você não viu nada a respeito, um recap rápido: Thauane Cordeiro, uma curitibana que está careca por conta da quimioterapia (ela tem leucemia) estava usando um turbante, feliz da

Casa 2 – Cortando o Cordão

Foi muito difícil soltar a mão dela. Aquela mãe estrela, forte e brilhante, a lhe proteger da vida. Mas a coragem dela era contagiante, pois conseguia disfarçar seu medo e as lágrimas de despedida com risadas acaloradas e divertidas. E foi assim, que apavorada, acreditou que podia ser livre. O ônibus ia cheio de jovens iguais a ela, que também com lágrimas embrulhadas e escondidas, partiam para uma nova vida,

o canto do cisne

    lembrar-me de ti sorrindo (não consigo)     tento desesperadamente ser mulher, algo como é pré-concebido aquele quadrado de: maturidade e frieza   mas as feridas não cicatrizam invadem e reinvadem o corpo o adoecem todo pai, um filho todo filho, um pai é a ordem natural     a vida rompe a própria vida e nos confunde       fui dizer-te adeus e já não ouvias

Dietas restritivas…nunca mais!

A nutricionista Sophie Deram, doutoranda da Faculdade de Medicina (FMUSP), propõe uma nova maneira de ver a nutrição. Baseada em estudos científicos, a autora do livro O peso das dietas, comprova que as dietas restritivas promovem, em longo prazo, ganho de peso e prejudicam a saúde de quem se submete a tais procedimentos radicais.   Com uma abordagem inédita, Sophie foi a fundo em todas as pesquisas feitas sobre o

Mãe não tira férias!

Chegando quase ao final das férias, admito: estou exausta. Uma sensação de cansaço tomou conta de mim. Onde ficou aquela mãe entusiasmada, que planejou receitas caseiras, passeios em parques, brincadeiras de bonecas, jogos educativos? Não sei! Só sei que dos tantos planos, quando chegou a segunda semana de janeiro estava torcendo para voltar a trabalhar e ter a mente em ação com temas de adultos. A bagunça, o barulho, a