Notícia de Beltranas

Mãe não tira férias!

Chegando quase ao final das férias, admito: estou exausta. Uma sensação de cansaço tomou conta de mim. Onde ficou aquela mãe entusiasmada, que planejou receitas caseiras, passeios em parques, brincadeiras de bonecas, jogos educativos? Não sei! Só sei que dos tantos planos, quando chegou a segunda semana de janeiro estava torcendo para voltar a trabalhar e ter a mente em ação com temas de adultos. A bagunça, o barulho, a

CASA 1 – INFÂNCIA

Naquele espaço ela as vezes se conformava… mas na maioria das vezes o quarto parecia grande demais. Então, abismada e forasteira, inventava um castelo particular. Havia um mosquiteiro antigo, de tule de algodão… (não era desses tules sintéticos de hoje…). Era armado, amarelado e quente, de trama que aquecia, dotado de memórias e possibilidades. Após armá-lo ao redor da cama, ela possuía um reino. Dentro dele seus bonecos personagens, seus

Debaixo dos caracóis

Fazendo uma pesquisa rápida na internet, logo se vê que os blogs e sites estão repletos de meninas (e meninos, homens e mulheres!) enlouquecidos pela dúvida de como deixar os cabelos. Temos aquela noção de que nossos penteados nos definem, se eu deixar uma cabeleira quilométrica pra jogar por traz do ombro (ou na cara das inimigas) deve ser sinônimo que sou mulherão, poderosa, decidida e dona de mim. Mas

Fotografia de um instante

Dia desses, andando pelo centro de Brusque, tinha que fazer hora, esperando meu namorado que estava no dentista. Resolvi gastar este tempo em meio aos livros e entrei na livraria. Entre as prateleiras, com um exemplar aberto nas mãos, olhos fixos na página, estava o dono do estabelecimento, que compartilha com ele o seu sobrenome. Eu o cumprimentei e ele sussurrou: Ihh, se a patroa me vê lendo, dá bronca!

Nostalgia Gastronômica

Com seus balcões/vitrines fartos, repletos de delícias, abarrotados de apfelstrudel, folheados de coco e ameixa, folheados em forma de ferradura, cuca de vários sabores, a famosa schneca, a bananada com massa de sonho, bolos de todos os recheios, torta alemã, as maravilhosas empadinhas, cachorro quente, a famosa bala e aqueles quadradões de chocolate garoto ou nestlé que só eles tinham… que perdição! Com seu menu de café da manhã servindo

“EMMA BOVARY SOU EU”

  “No íntimo da sua alma, contudo, esperava um acontecimento. Como os marinheiros aflitos, percorria com os olhos desesperados a solidão da sua vida, procurando ao longe alguma vela branca nas brumas do horizonte. Não sabia ela qual seria esse acaso, o vento que lhe traria para perto, nem para que praia se sentiria levada, se seria chalupa ou navio de três pontes, carregado de angústias ou cheio de felicidades

Matando preconceito a tapa

São tempos difíceis, cara pessoa que está aí, do outro lado destas letras. São tempos em que mostramos o pior de nós. Todo dia me espanto com o que estamos fazendo com as maravilhas tecnológicas que temos ao alcance dos dedos. Ó admirável mundo novo… que revela nosso lado mais horroroso, expõe o preconceito e a rapidez em estabelecer julgamentos sem provas. Somos o fim da picada. E isso nos

A polêmica dos radares

Novamente vem à tona o assunto da implantação de radares em Brusque, com a declaração do Major Otávio de que se tentará neste ano, novamente implantar radares no município. A pergunta que fica é: a quem interessa a implantação de radares? Dizer que eles coibirão o excesso de velocidade é uma mentira conhecida, pois todo e qualquer motorista reduz a velocidade quando passa no radar, e logo em seguida já

Visibilidade Trans

Ela nasceu ele, mas não se percebe como homem. Ela é mulher presa num corpo masculino. Ele nasceu ela, mas não se sente nem um pouco à vontade com seu corpo. Ele é homem, preso num corpo feminino. Ela sofre represálias por não se portar como homem, mas o que fazer quando nosso cérebro diz que aquele não é nosso corpo, não é nossa identidade, não é quem somos!? Vivemos

Homem Maduro | Mulher Madura

HOMEM MADURO Como seria se a vida tivesse lhe devolvido as carícias¿ Fizesse a ele todas as suas vontades¿ Como seria enriquecer, ter tudo o que quisesse e não desejar mais nada¿ Ah, não, ele não queria pagar esse preço. Ele podia até ser descabido, infernal, descontrolado. Intragável e petulante. Mas ele estava dentro de si. Daquele corpo fechado. Alguns poderia pensar que ele estava acomodado. Mal sabiam o quanto