Notícia de José Francisco dos Santos

O clube dos javalis

Uma diferença essencial entre o ser humano e as bestas selvagens é o fato de que somos animais cheios de símbolos e rituais. Não nos alimentamos apenas pela satisfação natural do apetite e da necessidade, mas criamos padrões, combinamos diferentes alimentos, inventamos os pratos e os talheres, a mesa de jantar e tudo o que isso significa, para muito além da mera necessidade animal de ingerir nutrientes. Não bebemos apenas

Para José e Maria

Prezados José e Maria. Resolvi escrever-lhes algumas linhas nesta semana, em que vamos comemorar o aniversário do menino de vocês (e nosso!). Por aqui, como é de costume, há intensos preparativos e festejos para a data. Mas faz tempo que tais festejos e preparativos estão distantes do propósito original da festa. Na verdade, quem tem roubado a cena é um velhinho de barbas brancas, uma tradição que parece ter começado

O que pode um juiz?

Uma das questões mais importantes da filosofia jurídica é o limite do poder do juiz, até onde pode ir sua discricionariedade. Essa palavra estranha significa o grau de liberdade que uma autoridade tem para decidir conforme seu próprio critério, sem ser constrangida ou limitada por uma lei. É consenso que, num Estado Democrático de Direito, o poder discricionário dos juízes deve ser limitado, sob pena de se perder um bem

Semana trágica

A queda do avião com a equipe da Chapecoense não foi a única grande tragédia da semana passada. Vimos também os poderes da República se aproveitarem da comoção nacional para, com os holofotes desviados, aprovarem incontestáveis iniquidades. O Congresso Nacional desfigurou o projeto de lei contra a corrupção para incluir nele o cerceamento ao ministério público e ao judiciário. Mas o pior aconteceu no STF, na mesma terça-feira fatídica, quando

A vera função da luz

Aproveitando a comemoração do Dia do(a) Professor(a), reflito sobre um questionamento muito comum na nossa profissão, mas extensivo também a qualquer pessoa que se coloque na função de educar ou liderar, em qualquer âmbito ou circunstância. Não poucas vezes nos perguntamos se o nosso trabalho vale a pena, se estamos realmente contribuindo para a transformação das pessoas e do mundo, ou se falamos para o vazio. Vivemos num mundo caracterizado

A forma e o conteúdo

Na semana que passou, a denúncia que o Ministério Público Federal apresentou à Justiça contra Lula e os discursos de defesa do ex-presidente e dos seus advogados ocuparam grande parte dos noticiários e das conversas. Por um lado, foi muito criticada a forma “pirotécnica” como o procurador apresentou a denúncia, em entrevista coletiva. Por outro, Lula contra-atacou com mais um discurso manjado, para a militância petista, no qual reiterou sua

Lições Olímpicas

Os jogos olímpicos são ocasiões ímpares para o congraçamento dos povos. O espírito olímpico convida a dar o melhor de si nas disputas esportivas, mas sempre com absoluto respeito às normas de cada esporte e aos adversários. Não à toa a prática de esportes é tão importante na formação das crianças e jovens. A dedicação a uma modalidade esportiva ensina o indivíduo a ter disciplina, comprometimento, dedicação. Nos dias atuais,

Um hiato na Educação

Quem está próximo ou já passou dos cinquenta anos deve se lembrar com nostalgia do que era chamado de “método tradicional de ensino”, que era aplicado tanto nas escolas quanto nas famílias. Nós (embora não pareça, também faço parte desse grupo!) somos um elo que está quase se extinguindo, mas que ainda pode conectar os tempos atuais àqueles de outrora. A partir da década de 1960, os métodos tradicionais passaram

Para uma educação emancipatótia

Emancipar é dar condições de autonomia a uma pessoa ou a uma entidade, como um município, por exemplo. A emancipação confere ao emancipado que ele tem condições de caminhar com as próprias pernas, que não precisa ser tutelado por ninguém. Todo processo educativo, por definição, deve ser emancipatório. Educamos uma criança para que ela cresça, amadureça e se torne independente, que possa alçar voo com suas próprias asas, definir seus

O alvo

O tiro ao alvo (ou “Tiro ao Álvaro”, como diria Adoniran Barbosa), especialmente com arco e flecha, é um dos esportes que eu mais admiro. Sua prática exige talento, concentração e muito treino. Conta-se que, certa vez, alguém visitou a casa de um suposto praticante desse esporte e encontrou seu quintal cheio de alvos atingidos “na mosca” por muitas flechas. Indagado sobre tamanha precisão, o indivíduo respondeu que primeiro atirava