Notícia de Prancheta

Prancheta: Brusque sofre no esporte de base

A queda na base Alguns podem não ter percebido, mas Brusque caiu drasticamente nos Joguinhos Abertos em comparação com 2015. Isso é um problema sério. A competição envolve a base, portanto o futuro do esporte no município. Se a base está frágil, toda obra é comprometida. Diferente dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), os Joguinhos refletem de fato o trabalho que é feito dentro das cidades. O problema não

Prancheta: Brusque terá a missão de reanimar atletas emprestados ao Marcílio

O ano de 2017 não será mais um no calendário do Bruscão. Significa nada menos do que os 30 anos da fundação do clube. Nos bastidores, a diretoria já planeja promoções e eventos tanto para homenagear o quadricolor quanto para rechear os combalidos cofres. Enquanto isso, grande parte do time disputa a Série B com a camisa do Marcílio Dias, já que foram emprestados pelo quadricolor ao time de Itajaí.

Prancheta: cenário de incertezas no futuro do esporte brusquense

Com novo prefeito eleito em Brusque, surge uma enxurrada de dúvidas nas mais diferentes áreas, e no esporte não poderia ser diferente. As associações esportivas e atletas da região começam a se perguntar: será que teremos melhorias? Ou vai ficar pior do que já está? O bolsa-atleta vai continuar? A Fundação Municipal de Esportes (FME) vai continuar assim, autônoma, ou vai ganhar uma importância menor dentro de uma secretaria? Questões

Prancheta: Reivindicações do esporte para o próximo prefeito

O esporte reivindica espaço Caros candidatos à prefeito de Brusque. Domingo é dia de eleição, e se tem uma área que carece de atenção é o esporte. A terra que tem orgulho de falar de seus campeões, como Murilo Fischer, Soelito Gohr, Matheus Rheine e Marcio May também é a terra que, a cada ano que passa, investe menos nos seus atletas. O município que enche a boca para falar

Prancheta: Ressaca olímpica

Passaram com a mesma velocidade de Usain Bolt e Daniel Martins, mas roubaram nosso coração como Flávia Saraiva e Simone Biles e ainda nos fizeram derramar lágrimas como Diego Hypolito e Marta. Valeram mais do que as medalhas de Michael Phelps e Daniel Dias, nos surpreenderam mais do que a seleção de futebol masculino, mas vieram com a mesma intensidade que a seleção de vôlei masculino. Não nos desapontaram como

Prancheta: Seleção Brasileira pode voltar a dar alegrias?

Há uma mania em terras tupiniquins de desacreditar em tudo diante da mais pequena adversidade. Um grupo de pessoas que parece torcer para que a coisa dê errado. Este clima derrotista acometeu na Seleção Brasileira de Futebol depois dos famigerados 7 a 1 na Copa do Mundo de 2014. Criou-se um ambiente de terra arrasada e uma previsão nefasta de que nunca mais voltaríamos a ter um grupo competitivo. Mesmo

Prancheta: país da superação

País da superação Na próxima semana recebemos no Brasil as Paralimpíadas. Ao contrário das Olimpíadas, em que o país passa longe das primeiras posições no quadro geral, no paradesporto ficamos sempre entre as dez primeiras potências – o Brasil foi o 7º colocado em Londres, 2012, no quadro de medalhas. Nos Jogos Parapan-Americanos a bandeira verde e amarela subiu muito: foram 109 ouros, 74 pratas e 74 bronzes, primeiro lugar

Prancheta: Legado negado

Deu gosto de ver o país respirando o esporte. Os brasileiros vibraram não só com o futebol masculino, mas modalidades mais carentes de atenção, como a canoagem, a vela, o judô, o taekwondo e até mesmo o futebol feminino. Mas o momento passou e agora a dúvida que não quer calar é: os Jogos Olímpicos deixarão legado? Aqui no Sul do Mundo, ninguém se preocupa com o legado físico, uma

Prancheta: Elas não precisam de pena

É lamentável que o futebol feminino seja prestigiado e roube os holofotes somente em tempos de Olimpíada. Grande parte desse público que hoje elogia e aplaude de pé o desempenho de Marta e companhia não acompanha a Copa do Mundo do naipe, não sabe onde as jogadoras dessa mesma seleção atuam e tampouco o quanto ganham para, atualmente, serem superiores do que a seleção masculina – nas devidas proporções, é

Prancheta: O pecado da cautela

  O pecado da cautela No futebol, existem dois pecados que podem determinar o fracasso de uma equipe. Um, é o excesso de confiança. Cheio de si, o time entra nos gramados com um salto agulha e acaba surpreendido pelos mais frágeis – porém aguerridos – adversários. O segundo pecado, extremo oposto ao primeiro, é o que vem cometendo o Brusque desde o início deste Brasileirão Série D: o da