Brusque se prepara para duelo contra o Remo na Copa do Brasil

Presidente do clube e remista morador de Brusque comentam a partida que será em fevereiro

BRUSCAO copiar
Bruscão disputará sua terceira Copa do Brasil da história -
Crédito: Levi de Oliveira/Arquivo Município

O sorteio da Copa do Brasil, realizado na manhã de ontem pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), colocou um tradicional clube nacional no caminho do Brusque. O Quadricolor do Vale terá pela frente nada menos do que o Remo, do Pará, em jogo a ser realizado no Augusto Bauer. A data ainda não foi confirmada pela CBF, mas as primeiras partidas da competição estão marcadas para 8 de fevereiro.

Pelo sorteio das chaves, quem vencer do confronto único entre Brusque e Remo pode enfrentar o Corinthians na segunda fase. O time paulista, contudo, também precisa fazer sua parte no jogo da primeira etapa contra a Caldense, de Minas Gerais.

Em 2017, a Copa do Brasil terá alterações em comparação com as edições anteriores. A principal delas é a realização de apenas um jogo, tanto na primeira quanto na segunda fase. Na etapa inicial, o visitante tem a vantagem do empate – ou seja, se o Leão segurar o empate na partida dentro do Augusto Bauer, avança. Ao Brusque só interessa a vitória. Já na segunda fase, apesar de ser jogo único, não existe vantagem de empate e se o placar terminar igualado haverá cobrança de pênaltis.

Diretoria satisfeita

Em apenas duas semanas, a diretoria do Brusque descobriu que o clube iria disputar a segunda maior competição nacional, que enfrentaria um histórico time paraense e ainda por cima poderia receber o Corinthians na segunda fase. As informações ainda estão sendo absorvidas pelos dirigentes, que se movimentam nos bastidores da bola para preparar todos os aspectos de 2017 – o time, a estrutura e os patrocinadores.

O presidente Danilo Rezini, contudo, pondera que a vaga não veio da forma como se esperava. O acidente da Chapecoense e o título da Sul-Americana para o time do Oeste foram responsáveis diretos por essa vaga ao quinto colocado do Catarinão 2016, no caso, o Brusque. “De qualquer forma, nós acreditávamos que a Chapecoense seria a campeã, portanto aguardávamos a Copa do Brasil. Agora, com muito trabalho, vamos fazer de tudo para que 2017 seja um ano especial”, completa.

Ano desafiador

Rezini lembra ainda que 2017 será um ano de muito futebol para o Bruscão, com calendário praticamente cheio. “Temos muitos compromissos para a próxima temporada e estamos extremamente satisfeitos, com Catarinense, Série D e Copa do Brasil, três competições de alta qualidade. Certamente teremos o Gigantinho cheio e precisaremos demais do apoio da nossa torcida”, diz.

Sobre o duelo contra o Remo, o presidente do Bruscão se diz satisfeito e cria grandes e boas expectativas. “Vai ser muito interessante com certeza, afinal é um tradicional clube do Norte. Haverá torcida visitante, pois temos muitos paraenses na cidade, e com certeza os trataremos com muito respeito”, completa.

Caso avance, há grande possibilidade de que o Brusque enfrente um gigante do futebol brasileiro, o Corinthians. Segundo o presidente, a diretoria ainda vai discutir se, nesse caso, o clube disputará a partida no Augusto Bauer, que tem uma capacidade para até 5 mil pessoas. “Não sou eu sozinho quem tomará essa decisão, e sim todo o grupo de diretores, mas tentaremos encontrar a melhor solução e que agrade a todos”.

No regulamento específico da Copa não há limite mínimo de capacidade nos estádios até a terceira fase, contudo em jogos com transmissão pela TV – caso em que o Corinthians se encaixa – será necessária iluminação adequada. O Brusque seria mandante da partida graças a outro sorteio também feito ontem.

Apesar de ter uma das melhores temporadas da história do clube pela frente, Rezini afirma que o time precisa de ainda mais apoio. “Estamos encontrando muitas dificuldades na busca por patrocinadores. Não houve aumento e algumas empresas nós ainda estamos conversando, sendo que muitas fecharam as portas. Queremos contar com mais pessoas colaborando com esse esporte que é uma paixão nacional, e ainda mais em um ano especial para o time”, completa.

Um pedacinho do Pará em Brusque

Torcedor do Leão, o paraense Everton Junior Pereira da Silva veio para Brusque há nove anos em busca de uma oportunidade de emprego. Ele faz parte de uma grande migração do estado nortenho para o berço da fiação catarinense que aconteceu nos últimos anos.

Apesar de acompanhar o Remo desde sempre, Silva, natural de Nova Timboteua, nunca viu seu time de perto. Agora, o destino colocou o clube de coração novamente em seu caminho. “Achei bem legal e fiquei muito feliz em poder ver o Remo. Mas também gosto do Brusque, aprendi a torcer pelo time aqui. Apesar de torcer para o Remo passar, também ficarei feliz se o Bruscão vencer”.

Para Silva, funcionário de empresa têxtil, não há favoritos para a partida que será realizada no Augusto Bauer, em fevereiro. “O Brusque tem um time bom também, então nem sei dizer quem vai ganhar. Vai ser bastante disputado”, completa o paraense.


BRUSQUE 2017

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *