Como escolher um bom azeite de oliva na hora da compra?

No mercado, você se depara com diversas marcas e diversos preços do azeite de oliva. E agora o que fazer? Vou passar algumas dicas para fazer a escolha certa:

 

olive

1º – Sempre optar por vidro e cor escura (marrou ou verde escuro): para evitar oxidação pela luz e impedir que o plástico solte produtos nocivos ao azeite;

 

 

olive2º – Azeite de oliva extra virgem: se isso está escrito na sua embalagem, ótimo. Significa que a prensagem da oliva foi feita a frio, e que preservou mais os fitoquímicos do azeite;

 

 

olive

Nível de acidez máxima: 0,5%. Realmente é o máximo que você deve aceitar, pois azeite ácido perde seus benefícios e você acaba pagando por uma coisa mais cara, que não trará efeito benéfico nenhum.  Se optar por 0,3%, 0,2%o 0,1%… melhor ainda.

 

 

olive

4º Olhar no rótulo: Índice de peróxidos: deve estar abaixo de 20, melhor ainda se estiver abaixo de 15. O excesso de peróxidos aumenta a peroxidação da gordura de dentro da embalagem, tornando um óleo não saudável. Resumindo: quanto mais baixo, melhor.

 

 

oliveOlhar o código de barras: Alguns exemplos práticos: Se começar com 520 (produzido e envasado na Grécia), 811 ou 812 (produzido e envasado na Espanha), 779 (produzido e envasado na Argentina), 780 (produzido e envasado no Chile), e 789 (produzido na origem e envasado no Brasil). Então, como sabemos que não somos grandes produtores de azeitonas, o azeite extraído do país de origem é transportado para o Brasil para ser envasado como? Alguém tem controle disso? Na dúvida, não compre azeite envasado no Brasil, fuja do código de barras 789.

 

Agora, você já comprou seu azeite e não têm todas essas informações declaradas no rótulo?

Faça o teste de geladeira. Após algumas horas em geladeira, esse azeite deve formar uma pasta, pois seu ponto de fusão é abaixo de 13º C. Se o azeite manter-se líquido, provavelmente ele está misturado com óleos refinados, que tem ponto de fusão mais baixo.

Outro detalhe que nem todos se preocupam é a validade de no máximo 3 meses após abertura, então se você mora sozinho ou consome pouco, opte por embalagens menores.

E depois disso tudo, se você escolheu o azeite certo, aproveite todos os benefícios. Você pode aquecê-los de preferencia por até 30 minutos, pois nesse tempo a perda é apenas de 1 a 4% dos fitoquímicos.

 

avatar ariane 2

 

Ariane Serpa – nutricionista

 

 

 

 

1 Comentário

  1. Avatar
    Afonso Monteiro outubro 01, 2016

    Boa noite Ariane. Embora no global concorde com o seu artigo, alguns pontos merecem reparo:
    - quanto á origem como esquecer os azeites portugueses possivelmente os melhores do mundo (código de barras 560)
    - não é absolutamente necessário utilizar um azeite extra virgem, sendo aliás menos recomendável se vai por exemplo fritar com ele, o azeite normal (mistura refinado com virgem) resiste melhor à temperatura
    - a acidez não tem bada a ver com qualidade e sim com as condições fitossanitárias das azeitonas e é apenas uma questão de gosto
    - o extra virgem pode ter acidez até 0.8 e o virgem até 2.0 graus sem qualquer alteração de qualidade
    - não esquecer outras utilizações do azeite como por exemplo combustível e polidor de móveis para os quais outros tipos de azeite (mistura) servem
    - por último e muito importante é o prazo pois o azeite é um produto que se vai alterando mal é espremido pelo se recomenda que seja utilizado num prazo máximo de 18 meses.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *