Crise não afeta procura por aulas de música em Brusque

Violão é um dos instrumentos mais requisitados para iniciantes no município

musica cópia (Copy)
Na aula de música, a dedicação do aluno é fundamental -
Crédito: Divulgação

Apesar das dificuldades econômicas, as escolas de música de Brusque mantém uma procura constante por aulas. Na Escola de Música Sonata, por exemplo, algumas aulas têm procura acima da expectativa.

A proprietária Nadjara Barth Pereira lembra que chegou-se a temer os reflexos da crise na escola, no entanto, isso não aconteceu. “Ficamos muito preocupados com a crise, mas felizmente não tivemos problemas. Temos até fila de espera para alguns instrumentos”.

Meire Anne Ruiz, da Escola de Música Lareom, afirma que a procura por aulas de música tem suas sazonalidades no município. “Eventos amplamente divulgados, programas de televisão, colaboram para aumentar a procura de algumas aulas em específico, fora isso, há sempre uma procura constante por aulas em Brusque”.

Entretanto, ela percebe que o aprendizado da música, bem como de artes em geral, ainda não figura no centro do interesse das pessoas. “Embora já seja comprovado que a música está para o nosso cérebro assim como a musculação está para o nosso corpo, ainda existe um desconhecimento ou uma falta de preocupação para esse aspecto da nossa vida cotidiana”, afirma.

Migração de instrumentos é comum

Os instrumentos populares como violão, guitarra, teclado e bateria são os mais procurados pelos brusquenses que querem ingressar no mundo da música. Geralmente, os alunos chegam às escolas de música procurando aprender a tocar esses instrumentos, no entanto, após entrarem em contato com diferentes sons, acabam migrando para outros estilos.

Nadjara, da Sonata, destaca que na instituição é muito comum os alunos procurarem por instrumentos que se ouvem com mais frequência em rádios. “Muitos iniciam por esses instrumentos, mas como aqui na escola existe a prática conjunta, eles se interessam por outros instrumentos também, e muitos mudam até encontrarem seu estilo”, diz.

No Centro da Música, a migração de instrumentos também é frequente. O responsável pelo setor de marketing e vendas da escola, Rafael Vinicius Fernandez, explica que o instrumento mais procurado é o violão, porém, depois de algum tempo, muitos passam para as aulas de contra-baixo. “A opção pelo instrumento varia muito de pessoa pra pessoa. A maioria chega procurando o violão, mas depois de um tempo se interessa por outros”.

Meire, da Lareom, destaca que o violão é um instrumento bastante popular, no entanto, a procura da escola é bastante dividida entre o teclado, que é o carro chefe, violão e violino.

Excelência somente com a prática

Rafael, do Centro da Música, destaca que o tempo de aprendizado depende muito da dedicação do aluno. “Em média, se leva de seis meses a um ano para o aluno ter um domínio do instrumento, mas é preciso que o aluno se dedique, as aulas têm o intuito de dar uma orientação sobre o instrumento, mas o aprendizado só vem com a prática”, diz.

Nadjara, da Sonata, também ressalta que a música não é um curso com tempo pré-determinado. “A música é um conhecimento adquirido, os alunos precisam exercitar e o tempo depende o quanto o aluno predispõe de estudo, quanto mais estudar, mais rápido acontece”.

Meire, da Lareom, afirma que tocar qualquer instrumento bem exige bastante esforço, porém alguns necessitam de mais dedicação dos alunos. “Todos os instrumentos possuem suas peculiaridades e complexidades, no entanto, é possível destacar o violino e o piano como instrumentos com um nível de exigência maior no aprendizado”.


Aulas oferecidas

Sonata
Violino, viola, violoncelo, contra-baixo, guitarra, violão, baixo acústico, saxofone, flauta transversal, trombone, trompa e trompete, teclado, piano, acordeon, bateria, percussão e canto.

Centro da Música
Violão popular, violão clássico, viola caipira, guitarra, contra-baixo, violino, viola clássica, canto, bateria, acordeon, teclado, piano e metais.

Lareom
Teclado, violão, flauta, técnica vocal, piano e violino.

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *