Denúncias de vazamentos de fossas residenciais são comuns em Brusque

Vigilância Sanitária lembra que o encanamento é de responsabilidade do próprio morador

Grande parte das queixas parte de vizinhos que sofrem as consequências das irregularidades -
Crédito: Divulgação

Semanalmente, a Vigilância Sanitária de Brusque recebe denúncias de moradores da cidade sobre vazamentos de fossa residencial. Grande parte das queixas parte de vizinhos que sofrem as consequências das irregularidades.

Segundo Clotilde Imianowsky, coordenadora do órgão, quando a vigilância recebe a denúncia, funcionários se deslocam até o local para verificar a situação e para orientar o morador a consertar o problema.

“Nós vamos e solicitamos que a pessoa tome as devidas providências. Mas não retornamos depois porque não temos condições de retornar em todos os lugares. Nós apenas retornamos se o morador que fez a denúncia ligar novamente falando que o vizinho não resolveu o problema”, explica a coordenadora.

Clotilde não informa a média mensal de denúncias relacionadas às fossas. No geral, incluindo fossas e outros assuntos, há meses em que o órgão recebe 30 e outros meses em que recebe 80 denúncias.

“Tem muita coisa em que vamos e é briga de vizinho. Coisas que eles deveriam conversar e se entender. Falta um pouco de amor no coração das pessoas de conversarem e pensarem em não prejudicar o outro”, diz.

Ainda de acordo com Clotilde, o vazamento de fossas oferece risco epidemiológico devido aos dejetos despejados. Entre os problemas que podem atingir os seres humanos estão as doenças de pele.

A coordenadora acrescenta também que, muitas vezes, os moradores denunciados dizem que a fossa é de responsabilidade da prefeitura. Ela alerta, no entanto, que o encanamento é obrigação dos proprietários.

Um ano de problema

Morador da rua José Debatin, no bairro Águas Claras, o aposentado Laumir Cadore sofre há cerca de um ano com o vazamento da fossa de um dos vizinhos. Ele conta que os dejetos, além de atingirem o terreno de sua casa, geram mau cheiro.

“Eles não têm esgoto encanado e acaba vazando o material no nosso terreno. A Vigilância Sanitária já foi até lá, mas nada foi resolvido”, diz.
Em relação a esse caso, a coordenadora da vigilância afirma que o órgão se deslocará novamente ao local para verificar a situação.

Já quanto à multas, Clotilde diz que o órgão não pode multar os moradores, apenas abrir processo administrativo – em casos mais graves.


Denúncias

Para denunciar vazamentos de fossa, o morador pode entrar em contato com a Vigilância Sanitária por meio do telefone 3255-6889.

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *