Fechamento do Centro Cirúrgico pode afetar serviços de saúde em Brusque

Secretaria de Saúde acredita que isso deve gerar aumento de demanda nos outros hospitais da cidade

hospital nova (Copy)
-
Crédito: Arquivo Município

O fechamento do Centro Cirúrgico, cuja possibilidade é avaliada pela direção do Hospital e Maternidade de Brusque (HEM) deverá aumentar a demanda de outros hospitais da cidade, caso venha a ser confirmado na quinta-feia, 12, data para a qual está prevista uma definição a respeito da gestão da instituição.

Na semana passada, a direção divulgou comunicado informando que há um grupo empresarial interessado em assumir a gestão do hospital, e que uma resposta sobre o fechamento ou não do acordo sairia quinta-feira.

As atividades do Centro Cirúrgico podem ser interrompidas porque os funcionários do setor ameaçam deflagrar greve, devido à falta de pagamento.

O secretário de Saúde de Brusque, Humberto Fornari, afirma que o possível fechamento do Centro Cirúrgico, somado aos fechamentos do pronto-socorro e das UTIs adulta e neonatal da instituição, não afeta diretamente os serviços da secretaria, porque não tem sido mais feitos atendimentos por meio de filantropia.

“O hospital, apesar de ser filantrópico, já há algum tempo não realiza mais nenhum tipo de procedimento via filantropia”, afirma o secretário, que tem outra preocupação sobre o caso.
“O que me preocupa realmente é aumentar a demanda nos hospitais que já estão sobrecarregados, em função de estarmos com um hospital que está dia a dia fechando uma ala”.

Para Fornari, sobrecarregar os outros hospitais pode gerar problemas de qualidade no atendimento. O secretário também avalia outra face da crise financeira do HEM. Segundo ele, há bastante pacientes que estão procurando atendimento fora de Brusque, o que é prejudicial, por reduzir a arrecadação da cidade.

“É lamentável ver um hospital com mais de 60 anos de história chegar ao ponto que chegou. Sou médico do corpo clínico e assisti à derrocada ano a ano e, infelizmente, a gente não tem o que fazer”, conclui o secretário de saúde.

Apesar disso, o Hospital Azambuja vem afirmando que está preparado para atender um eventual aumento da demanda. Desde que começaram o anúncio de fechamento de alas do HEM, a instituição tem divulgado comunicados nos quais informa que ampliou e ainda irá ampliar sua estrutura para comportar os atendimentos.


Planos de saúde se manifestam sobre possibilidade de fechamento

O Município Dia a Dia contatou operadoras de plano de saúde que mantém convênio com o HEM, para saber para onde serão encaminhados os pacientes, no caso do fechamento do Centro Cirúrgico se confirmar.

Por meio de nota, a Unimed de Brusque informou que “lamenta tal situação”, referindo-se ao fechamento da unidade. Informou também que as cirurgias eletivas (agendadas) dos clientes deverão ser realizadas no hospital indicado pelo seu médico assistente.

Em Brusque, segundo a Unimed, os hospitais de Azambuja e Dom Joaquim também são credenciados para realização de cirurgias.

A Agemed, também por meio de nota, informou que “mantém rede credenciada com os principais prestadores de serviços na área de saúde em Brusque e na região e vai garantir o atendimento a todas as demandas de seus beneficiários”.

Contatado pelo Município Dia a Dia, o plano SC Saúde, destinado aos servidores do governo do estado, informou que terá uma posição sobre a situação do hospital e os serviços oferecidos aos seus conveniados somente quinta-feira, 12, mesma data na qual o hospital promete uma definição a respeito do fechamento ou não do Centro Cirúrgico.


Sindicato dos servidores se reunirá com direção do hospital

O Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde de Blumenau, que acompanha o caso do hospital de Brusque, informou nesta semana que também possui uma reunião agendada para quinta-feira, 12, com a direção do HEM.

Ingo Ehlert, presidente do sindicato, disse que essa reunião acontecerá pela manhã, e uma declaração será dada à imprensa à tarde.

O motivo da reunião é tratar da situação dos empregados do hospital. Segundo presidente do sindicato, na semana passada o Centro Cirúrgico parou por falta do pagamento do salário de dezembro e do 13º salário dos funcionários.

No entanto, os proprietários do hospital procuraram os funcionários e expuseram suas razões, solicitando que mantivessem o atendimento até amanhã, o que foi acatado pelos trabalhadores. A expectativa do sindicato é ter uma resposta definitiva sobre os pagamentos na quinta-feira.

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *