Homem é baleado com três tiros e sobrevive, no Águas Claras

Fabrício Amaral Silva, 24 anos, foi atingido na cabeça, abdômen e na lombar

-
Crédito: Levi de Oliveira

O jovem Fabrício Amaral Silva, 24 anos, foi baleado com três tiros que atingiram a cabeça, abdômen e lombar, na noite de domingo, 23, no Santa Cruz, bairro Águas Claras. Ele foi encaminhado para o Hospital Azambuja pelo Corpo de Bombeiros e segue internado na clínica cirúrgica, onde passa por exames. O estado de saúde é estável e não corre risco de morte.

Segundo o irmão Luiz Felipe Amaral da Silva, 21, eles estavam nos fundos de uma residência, na rua José Debatin, quando perceberam a chegada de três desafetos em duas motonetas, uma de cor preta e outra amarela, e atiraram contra os dois.

O irmão mais novo conseguiu se esconder e Fabrício foi atingido no momento em que também corria para escapar dos disparos. Após ser ferido, ele caiu na calçada, em frente a Panificadora Kohler, na rua Santa Cruz. O Corpo de Bombeiros conduziu a vítima para o Hospital Azambuja e a Polícia Militar iniciou as buscas pelos suspeitos.

Na rua Alberto Klabunde, os policiais encontraram uma das suspostas motonetas utilizada no crime. No primeiro momento ela estava sendo conduzida por um dos suspeitos de ter cometido o crime. No entanto, quando os policiais fizeram o contorno para abordar o veículo, o homem desapareceu e uma mulher, que seria namorada dele, acabou sendo abordada, mas se negou a dar informações sobre o companheiro.

A motoneta foi apreendida e a mulher encaminhada para a delegacia onde foi ouvida e deve responder a um termo circunstanciado por favorecimento a pessoa em fuga. O delegado Ricardo Casarolli afirmou que as informações ainda não são conclusivas, mas que há indícios de que a motivação do crime esteja ligada ao tráfico de drogas.

Segundo a PM, a casa onde os dois irmãos estavam tem sido denunciada por moradores do bairro como ponto de venda de drogas. Na semana passada, o irmão mais novo também foi alvo de uma tentativa de homicídio, sendo atingido no braço por um tiro, mas sem gravidade. A suspeita é que o criminoso seja um dos que tentaram matar ele e o irmão no domingo.

O delegado Casarolli determinou a apreensão do telefone celular da mulher encaminhada para a delegacia, pois durante os procedimentos dois dos envolvidos tentaram manter contato com ela. “É possível que ela responda pelo favorecimento pessoal, tendo ajudado na fuga, mesmo não participando da tentativa de homicídio em si. Tudo leva a crer que os suspeitos são os autores do crime”, concluiu o delegado.

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *