Igreja São Judas Tadeu é abençoada e consagrada pelo arcebispo metropolitano

Celebração especial, denominada Rito de Dedicação, aconteceu na noite desta sexta-feira, 28, no Águas Claras, em Brusque

-
Crédito: Daiane Benso

“Uma igreja consagrada estará para sempre consagrada”. Com estas palavras o arcebispo metropolitano, Dom Wilson Tadeu Jönck, se referiu ao Rito de Dedicação, que aconteceu na noite desta sexta-feira, 28, durante celebração solene na paróquia São Judas Tadeu, no bairro Águas. O evento religioso, que também comemorou o Dia do Padroeiro, se destinou a consagrar e abençoar a igreja e o altar da matriz com o Santo Crisma.

A estrutura física da paróquia existe desde 1955, onde na época foram erguidas duas torres – característica das igrejas da região. Há três anos, após problemas no telhado e com o apoio de toda a comunidade, ampliou-se o espaço para melhor realizar as celebrações. No entanto, desde sua primeira construção, a igreja não havia recebido o Rito de Dedicação – também denominado de consagração, sagração ou inauguração -, por isso, o momento tornou-se especial para os fiéis.

Um dos primeiros atos do rito ocorreu no começo da celebração, quando Dom Wilson, depois de benzer a água, aspergiu nas paredes e nas pessoas. Na sequencia, depois da Liturgia da Palavra (leituras da Bíblia), o altar foi ungido com os santos óleos pelas mãos do arcebispo. Além disso, foi realizada a incensação do altar, onde incensos foram queimados. Dando continuidade ao rito teve o revestimento do altar e a consagração por meio da unção dos santos óleos em todas as cruzes das estações da Via-Sacra. Por fim, aconteceu a iluminação do altar e da igreja, quando Dom Wilson acendeu velas para recordar que Cristo é a “luz para se revelar às nações”.

Dedicação a Deus

O arcebispo explica que o altar é o local central da igreja e que tudo se converge para o altar. “É no altar que o pão e o vinho se tornam o corpo e o sangue de Jesus Cristo”. Ele ainda destaca que a queima do incenso significa o sacrifício de Cristo e que é utilizada para expressar que o sacrifício da igreja e as orações dos fiéis chegam a Deus.

Dom Wilson também afirma que o rito de dedicação tem o objetivo de indicar que a igreja é dedicada a Deus, já que o templo é o lugar privilegiado de encontro com Deus. “Dedicar e consagrar a igreja é reconhecer confiantes este desígnio e amor de Deus Pai, Filho e Espírito Santo”.

O pároco da paróquia São Judas Tadeu, padre Pietro Anderloni, diz que o rito tem um simbolismo muito forte com a vida cristã. Segundo ele, a aspersão de água benta, a unção do altar e das cruzes, o incenso, a vela, a ornamentação do altar “fazem lembrar que somos templos do Senhor, ungidos e iluminados para ser luz no mundo”.

O diácono Germano Rodolfo Borchard ressalta que era um desejo da igreja a consagração. Ele lembra que o templo é um lugar especial e de encontro com Deus, e que “nada melhor do que ter este ambiente consagrado”.

A ministra da Eucaristia há 20 anos na paróquia, Rosa Marlene Piazza, diz também que é uma alegria grande para toda a comunidade e para os ministros participarem do momento. Ela afirma que o rito vem motivá-los a continuar trabalhando cada vez mais em prol da igreja e do próximo.

Paróquia

A paróquia São Judas Tadeu congrega sete comunidades. A estrutura física do espaço abriga mais de 1 mil pessoas.

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *