Inadimplência de R$ 2 milhões foi decisiva para o fechamento das UTIs no Hospital e Maternidade de Brusque

Direção da unidade explicou os motivos para o fechamento durante entrevista coletiva

IMG_0528
-
Crédito: Bárbara Sales

Em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira, 3, os administradores do Hospital e Maternidade de Brusque, explicaram os motivos que levaram ao fechamento das UTIs adulto e neonatal da instituição.

De acordo com a gestora do hospital, Ilse Barboza, a falta de demanda nas duas unidades foi fundamental para a decisão. Segundo ela, a UTI adulto tem seis leitos e capacidade para 10, no entanto, a ocupação da unidade ficava entre 10% a 20%. “Isso não é o suficiente para manter toda essa estrutura funcionando”, diz.

Como se não bastasse a baixa ocupação, a crise financeira pela qual o país passa também afetou o hospital. Segundo a administração da unidade, nos últimos dois anos o hospital sofreu com a inadimplência dos pacientes. “Temos cerca de R$ 2 milhões para receber de pacientes que usaram os serviços da UTI, mas por algum motivo não pagaram”.

Na UTI neonatal, que é composta por 10 leitos, a taxa de ocupação era um pouco maior, mas não o suficiente para poder arcar com os custos de mantê-la aberta. “Para termos uma UTI funcionando precisamos de um número de profissionais de acordo com a quantidade de leitos, e não com base na ocupação. Então não é possível manter um serviço desse porte se não existe ocupação. Onera demais”, destaca o advogado do hospital, Jordan Hartke.

1 Comentário

  1. Avatar
    Alexandre Litle novembro 04, 2016

    Ainda bem que um médico foi eleito prefeito para por ordem na casa, ou isso viraria um cartel da saúde. Agora a saúde não passará despercebida…branca e clara feita um jaleco!

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *