Maior superlua em quase 70 anos pode ser observada nesta segunda-feira

A lua estará a 48,2 mil quilômetros mais próxima da Terra; acontecimento somente voltará a se repetir em 25 de junho de 2034

superlua (Copy)
-
Crédito: Agência Reuters

Os brusquenses poderão apreciar um fenômeno astronômico raro. Nesta segunda-feira, 14, véspera de feriado, haverá mais brilho no céu com a Superlua. Depois de quase 70 anos – a última vez foi em 26 de janeiro de 1948 -, a lua cheia estará mais próxima da Terra e deverá proporcionar um espetáculo único. As superluas são resultado de uma “casualidade”, segundo a astrônoma britânica Heather Couper. Ela explica que a lua gira ao redor de uma órbita elíptica, e se a lua cheia coincide com o ponto do trajeto onde está mais próximo da Terra, pode parecer absolutamente enorme.

A lua estará a 48,2 mil quilômetros mais próxima da Terra do que quando esteve recentemente no seu apogeu – que é o ponto mais distante da órbita. O acontecimento raro somente voltará a se repetir em 25 de junho de 2034. A Agência Espacial Norte Americana (Nasa) informa que quem estiver assistindo à Superlua poderá perceber que o satélite natural estará 14% maior e com 30% a mais de brilho. As Superluas não são tão incomuns – essa é a segunda vez em 2016: a primeira ocorreu no dia 16 de outubro e a última deverá acontecer em 14 de dezembro.

No entanto, no dia 14 de novembro a órbita da lua se aproximará mais da Terra do que aconteceu em períodos anteriores. O Observatório Astronômico de Brusque não estará aberto para a visitação, devido à visita de Dom Bertrand de Orleans e Bragança, príncipe Imperial
do Brasil, que palestrará no Ciclo Brusquense de Conferências Magnas Temáticas.

O diretor do observatório, Silvino de Souza, afirma que se não houver nenhuma condiçã oadversa no tempo, chuva, por exemplo, será possível ver a Superlua. Ele recomenda que as pessoas fiquem atentas para observar a olho nu o fenômeno e também por meio de binóculo. O ideal é estar em um local aberto e tranquilo, longe da iluminação artificial. Além disso, elas parecem ainda maiores quando vistas por meio das árvores ou de casas. O melhor momento para visualizar a lua gigante é quando ela estará na altura da linha do horizonte. “No telescópio não se vê muitas coisas, pois a luminosidade refletida pela lua impede de ver detalhes. O ideal é que as pessoas observem a olho nu e aproveitem para fotografar este momento”, diz o diretor do observatório.

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *