Moradores do Steffen reivindicam solução para valas com água parada

Além do mau cheiro, local abriga mosquitos e ratos; Secretaria de Obras se comprometeu a fechar as valas

Vala steffen 1 (Copy)
Vala maior está situada em frente à Trilha Motos e próximo à Panificadora e Restaurante Trainotti -
Crédito: Daiane Benso

Há pelo menos 25 anos os moradores e empresários da rodovia Ivo Silveira, no trecho que pertence ao bairro Steffen, próximo à Panificadora e Restaurante Trainotti, sofrem com o mau cheiro de duas valas abertas no local. Além do odor, os cidadãos se preocupam com doenças, já que o espaço abriga mosquitos e ratos.

Uma das valas está às margens da rodovia e a outra paralela à rua João Frederico Steffen. O aposentado Simon Uhlmann, que mora atrás de um destes locais, conta que há 25 anos sofre com o descaso dos órgãos públicos. Ele diz que as valas não possuem utilidade nenhuma – antes faziam parte de uma rede de esgoto que desembocava no rio Itajaí-Mirim.

Vala na rua João Frederico Steffen incomoda moradores com mau cheiro há 25 anos / Foto: Daiane Benso

Vala na rua João Frederico Steffen incomoda moradores com maucheiro há 25 anos / Foto: Daiane Benso

No entanto, com a colocação de duas galerias pluviais do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no bairro – próximas à Escola de Ensino Fundamental Companheiro Oscar Maluche -, as valas são responsáveis apenas por acumular água. “Eu já perdi as contas de quantas vezes solicitei pra fazerem algo por nós. Acho que a última vez que limparam foi no governo do Ciro Roza, em 1989. A água não tem vazão, é só fechar”, diz o aposentado.

O proprietário da Trilha Motos, Jarbas da Silva, afirma que o “descaso é total”. Ele recorda que a Vigilância Epidemiológica de Brusque, inclusive, já esteve no local e disse que notificaria a prefeitura. “Eu não sei porque não fizeram nada ainda. Cansamos de solicitar uma solução. É simples: é só limpar o que tem na vala e fechar com um tampão de concreto. Tenho certeza que acabaria com o problema e eliminaria quase que 100% o cheiro ruim”.

A gerente da Panificadora Trainotti, Aline Soares, conta que há muitos mosquitos e moscas nas valas e que os moradores se preocupam com o Aedes aegypti, que transmite a dengue e o zika vírus. Segundo ela, os clientes algumas vezes também se incomodam com o odor. “A prefeitura se omite da responsabilidade. É um passando para o outro e ninguém faz nada. Pagamos impostos pra quê?!”, diz indignada.

O caixa de posto, Wendel Carminatti, também é morador do local e diz que as pessoas não se manifestam mais pois cansaram de reivindicar uma solução e não obter retorno. Ele também afirma que fechar as valas com concreto resolveria o problema.

Obras fechará valas

A Secretaria de Obras se comprometeu a solucionar o problema das valas até o começo de dezembro. O secretário da pasta, Marcelo Pavan, que está à frente do cargo desde a segunda quinzena de agosto, afirma que se inteirou da situação e que os moradores podem tranquilizar-se que as valas serão fechadas.

Ele explica que será colocada uma placa de concreto. Segundo ele, não se pode lacrar definitivamente, já que ainda é possível que a vala precise ser reaberta. Até o fim da semana será feita vistoria no local para análise da quantidade de material necessário.

Já a vala da rua João Frederico Steffen não foi fechada porque o esgoto da casa de um morador é depositado neste espaço. O secretário conta que há anos foi sugerido fechar, no entanto, o cidadão precisaria fazer uma fossa e solicitar a ligação de esgoto. “Poderíamos tampar agora, mas causaríamos um problema ao morador. Assim como já foi exposto a ele, precisamos que ele regularize sua situação para fecharmos definitivamente a vala”, afirma Pavan.

1 Comentário

  1. Avatar
    Sergio novembro 09, 2016

    Eu fui levar a minha esposa na semana passada ali na manicure e o fedor era grande, e ainda por cima fiz umas fotos dos ratos que tem ali, se precisar das fotos eu mando ai para vocês, é uma tremenda falta de respeito com o pessoal que mora e passa por ali, fedor insuportável.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *