Município Dia a Dia recebe Prêmio de Jornalismo da Fiesc

A jornalista Bárbara Sales ficou em segundo lugar com a reportagem especial “Educação é o meu negócio”

fiesc (Copy)
Na foto, acompanhando Bárbara, estão o presidente da Associação Catarinense de Imprensa (ACI), Ademir Arnon; vicepresidente regional da Fiesc no Vale do Itajaí-Mirim, Ingo Fischer; presidente da Fiesc, Glauco José Côrte e o diretor do Município Dia a Dia, Claudio Schlindwein -
Crédito: Fernando Willadino/Divulgação

A jornalista Bárbara Sales, do Município Dia a Dia, recebeu na sexta-feira, 25, o Prêmio Fiesc de Jornalismo 2016, na sede da Federação das Indústrias de Santa Catarina, em Florianópolis. Ela ficou em segundo lugar na categoria texto, com a reportagem especial “Educação é o meu negócio”, publicada em setembro deste ano no jornal.

Realizado desde a década de 1980, o Prêmio Fiesc de Jornalismo é o mais tradicional de Santa Catarina, e reconhece o trabalho realizado por jornalistas de rádio, TV e jornal. Esta é a primeira vez que o Município Dia a Dia conquista este importante prêmio que, neste ano, contou com mais de 80 trabalhos inscritos de veículos de todas as regiões do estado.

“Fico muito feliz em ter o trabalho reconhecido por uma entidade tão representativa quanto a Fiesc”, diz a jornalista, que também já conquistou a categoria destaque regional ao lado do jornalista Marcelo Reis, no prêmio Fatma de Jornalismo Ambiental em 2014, e também o segundo lugar no Prêmio de Comunicação Trabalho Seguro, do Tribunal Regional do Trabalho, em 2015.

Na solenidade de entrega, que ocorreu durante a reunião da diretoria da instituição, o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, ressaltou que Santa Catarina é destaque no país não só por seus indicadores, mas também pela qualidade da imprensa catarinense.

“É assim que contribuímos com o debate das questões fundamentais para a sociedade. E é dessa forma que poderemos ajudar a realizar as transformações que o Brasil precisa: com transparência nas informações e clareza nos posicionamentos que defendemos”, afirmou Côrte. “A Fiesc acredita que a atuação de uma imprensa livre é um dos pilares da democracia e do desenvolvimento de uma nação”, acrescentou.

O momento desafiador para a comunicação foi destacado pelo presidente da Associação Catarinense de Imprensa (ACI), Ademir Arnon.

“Essa é a maior crise enfrentada no setor de comunicação, tanto para os profissionais como para o empresário. Esperamos que em 2017 a gente tenha a oportunidade de vislumbrar dias melhores”, disse Arnon.

O prêmio é realizado pela Fiesc e pela Associação Catarinense de Imprensa (ACI) com apoio do Sindicato dos Jornalistas de Santa Catarina, Associação dos Diários do Interior (ADI/SC), Associação dos Jornais do Interior (Adjori), Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert), Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas do Estado de Santa Catarina (Sindejor) e Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão do Estado de Santa Catarina (SERT/SC).

A comissão julgadora foi composta pelos jornalistas Aldo Antônio Schmitz, Marcos Heise e Rogério Kiefer (representando a ACI) e pelo economista Flávio Lopes Perfeito (representando o Conselho Regional de Economia-Corecon/SC).

1 Comentário

  1. Avatar
    Elle Fante novembro 28, 2016

    Tão bela e competente profissional premiada merecidamente, quase fora de foco e dos holofotes.
    Poderiam ter colocado Photoshop nestes rapazes, e emagrecê-los ao extremo.
    #Chessuis têm um aí que ocupa a tela toda! Nem vou desenhar!

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *