Novo gerente de futebol do Brusque, Rodrigão comenta os desafios da próxima temporada

Ex-zagueiro fala sobre experiência na administração do futebol e os passos para fazer o time impressionar em 2017

RODRIGÃO
Rodrigão foi zagueiro do Brusque entre 1998 e 2001, e começou a carreira de gerente neste ano -
Crédito: Arquivo Pessoal

A partir desta semana, o Brusque Futebol Clube passa a ter um gerente de futebol bem conhecido do torcedor quadricolor. Rodrigo Rodrigues, o Rodrigão, assumiu o cargo ontem e já pensa na estrutura e no elenco do time que disputa o Campeonato Catarinense e a Série D do Brasileirão em 2017.

Ex-zagueiro, Rodrigão defendeu o próprio Brusque entre 1998 e 2001, e encerrou a carreira em 2015, após defender o Operário de Mafra. Já como gerente de futebol, Rodrigão começou a carreira no início do ano com o Camboriú, e no meio do ano foi responsável pelo elenco campeão da Série C do Catarinão, o Clube Atlético Itajaí.

Município: Por que você aceitou este novo desafio e quais são seus objetivos como gerente de futebol do Bruscão?
Rodrigão: Moro há 17 anos em Brusque e sempre tive a vontade de trabalhar com o futebol no clube da cidade, mas por falta de recursos não deu certo já em 2015. Agora conseguimos dar andamento a esse projeto. Estou feliz e meu objetivo é estruturar o time, trazer tudo que for referente ao futebol para o CT – inclusive em dias de chuva, com o campo sintético que queremos montar lá -, e também participar do processo de contratação dos atletas.

Município: Como gerente, você esteve com o Camboriú, que foi rebaixado neste ano, e em um clube da terceira divisão catarinense. Como pretende encarar mais esse desafio da carreira?
Rodrigo: No Camboriú não tive a oportunidade de participar das contratações, isso foi de presidente para treinador. Já no Itajaí foi diferente, consegui opinar nesse processo. É um grande desafio sim, mas eu aceito e pretendo trabalhar para que tudo dê certo, pois tudo que faremos será em prol do Brusque Futebol Clube.

Município: Parte do elenco do próximo ano foi emprestado ao Marcílio Dias e vem de uma fase ruim, com falta de organização, atraso de salários e fala-se até em racha no grupo. O torcedor pode confiar nestes atletas?
Rodrigo: Isso foi uma situação lá do Marcílio, que estava desorganizado, tinha problema com os pagamentos e com a alimentação. Aqui é diferente. O jogador de futebol, quando tem salário em dia e tudo em ordem, só precisa se preocupar em jogar bola. Confiamos nestes jogadores que já fizeram boa campanha em 2016, sendo que alguns acompanham o clube desde 2015 na Série B. O Brusque tem uma base forte e com certeza vai incomodar de novo no próximo ano.

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *