Preço do botijão de gás se mantém estável em Brusque

Estabelecimentos pesquisados pela reportagem afirmam que ainda não há previsão para aumento

gás (Copy)
O preço do botijão de gás comercializado em Brusque varia de R$ 50 a R$ 60 -
Crédito: Arquivo Município

Os estabelecimentos de Brusque ainda não repassaram ao consumidor o novo reajuste no preço do botijão de gás de 13 quilos. Em média, conforme pesquisa realizada pelo Município Dia a Dia com quatro empresas da cidade, o preço do botijão varia de R$ 50 a R$ 60.

O valor do aumento, informado na semana passada pela Petrobras, acontece porque a empresa alterou os contratos com distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o gás de botijão. Com isso, o botijão de 13 quilos, que é o padrão para uso residencial, deve ficar R$ 0,20 mais caro, em média. Segundo a Petrobras, o acréscimo não passará de R$ 0,70 por botijão em nenhum lugar do país.

Tanto a Aspenn Liquigás Brusque, Schmitz Gás, Erenita Gohr e Gás Águas Claras, afirmam que as distribuidoras ainda não passaram valores de reajuste e que não há previsão para aumento. Na Schmitz Gás o botijão de 13 quilos é vendido a R$ 50 na empresa e R$ 55 na entrega. Na Aspenn Liquigás Brusque o valor padrão é de R$ 55. Na Erenita Gohr são comercializados o gás da Nacional Gás e da Liquigás, que varia de R$ 50 a R$ 60 (ver no detalhe). Já no Gás Águas Claras, o preço do botijão “in loco” é R$ 55 e na entrega R$ 58.

A gerente administrativo da Aspenn Liquigás Brusque, Thuanni Santos, conta que antes de repassarem o reajuste, estão realizando uma promoção no estabelecimento para acabar o estoque. Atualmente, o botijão está sendo vendido a R$ 53 – tanto para entrega como para retirada.

A administradora da Erenita Gohr, Silvana Gohr, lembra que em setembro teve um aumento de cerca de 10%, repassado pelas distribuidoras, porém, neste momento, ainda não foi informada sobre novos reajustes. O proprietário do Gás Águas Claras, Alessandro Azevedo, afirma que provavelmente não terá aumento no valor do botijão de 13 quilos. Ele destaca que há tempo não tem reajuste no local, pois é uma forma de conter a concorrência.

Logística

A Petrobras informa que o aumento ocorre porque os custos com a logística do produto, que eram cobertos pela estatal, serão repassados às distribuidoras, isso significa uma redução dos subsídios às distribuidoras, como aconteceu há dois anos com os contratos de fornecimento de diesel e gasolina. A Petrobras explica que o fim dos subsídios “é importante para evitar distorções”.


Preços do botijão de 13 quilos em estabelecimentos de Brusque

Sem título

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *