Prefeitura de Brusque divulga que Fenarreco teve lucro de R$ 137 mil

Festa também registrou maior público desde 2014

Vice-prefeito e prefeito apresentaram resultados nesta quinta-feira -
Crédito: Marcos Borges

A Prefeitura de Brusque divulgou o balanço financeiro da 31ª Fenarreco nesta quinta-feira, 27, em entrevista coletiva. Segundo a apresentação, a festa gerou lucro de R$ 137 mil aos cofres públicos e bateu recorde de público desde 2014.

O vice-prefeito e secretário de Turismo, Rolf Kaestner, e o prefeito José Luiz Cunha, o Bóca, fizeram a exibição dos resultados à imprensa. Conforme o balanço, mais de 149 mil pessoas passaram pelo pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof durante os 11 dias de festa.

O público é o maior registrado nos últimos três anos, de acordo com a prefeitura. Em 2014, o público total foi de 131 mil, e em 2015 foi de cerca de 148 mil.  A renda com a bilheteria em 2016 foi de R$ 274 mil, além de outros R$ 24 mil com camarotes e R$ 1,5 mil com as vendas online de ingressos.

Alimentação e bebidas

Além de frequentarem mais o pavilhão, os brusquenses também consumiram em peso, segundo os números divulgados. Foram vendidos mais de 8,6 mil bufês. O prato que é o carro-chefe da Fenarreco, o marreco recheado, foi comercializado 4.020 vezes.

O levantamento da prefeitura também detalhou outros produtos vendidos. A renda total com a alimentação foi de R$ 57 mil.

A bebida é um dos pontos fortes da festa, que tem o chope como o combustível que move o público. Segundo a Secretaria de Turismo, a arrecadação neste item foi de R$ 201,7 mil. Foram vendidos mais de 142 mil chopes, 21 mil refrigerantes e 14 mil garrafas de água.

Balanço positivo

Somando todas as receitas, as quais incluem o patrocínio da choperia Germânia, o total é de R$ 1,1 milhão, enquanto que as despesas totalizaram R$ 962 mil. Com isso, segundo a Prefeitura de Brusque, a 31ª edição da Fenarreco gerou lucro de cerca de R$ 137 mil.

O vice-prefeito Rolf Kaestner disse que, neste ano, a prefeitura presou pela transparência total na apresentação dos resultados. “Teve ano[passado], que a o balanço da Fenarreco teve a construção de uma cozinha como receita, e, mesmo assim, teve prejuízo de R$ 300 mil”.

Kaestner afirmou que o lucro possibilitará que a prefeitura invista o dinheiro em outras áreas prioritárias, como a saúde pública. Ele destacou que a Fenarreco foi sucesso de público e não teve incidentes.

“É muito bom terminar o evento de maneira tranquila”, comentou. Para Kaestner, o resultado financeiro e de público demonstram que o formato da Fenarreco – com ênfase na tradição germânica – não deve ser mudado no futuro.

Já Bóca Cunha ressaltou o papel do município na manutenção da Fenarreco. Segundo ele, as prefeituras que terceirizaram a realização sepultaram as suas festas. O prefeito disse que o evento só deu lucro por causa da seriedade do poder público.

“A prefeitura não deu chope ou marreco para os funcionários, porque é uma despesa e não cabe à prefeitura fazer isso, mesmo com todo o respeito que eu tenho pelos servidores”, disse. De acordo com Bóca, o controle na distribuição de bufês e ingressos possibilitou o resultado positivo.

Sem apoio estadual

Durante a coletiva, prefeito e vice lamentaram a falta de apoio do governo estadual. Segundo eles, o estado prometeu ajudar financeiramente na realização da Fenarreco. Porém, não cumpriu o acordo até o momento.

De acordo com Rolf Kaestner, o lucro poderia ter sido de até 30% sob o total, caso os valores tivessem sido depositados para a prefeitura.

 

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *