Previsão indica que verão terá tardes quentes e noites mais frias, em Brusque

Meteorologista Ronaldo Coutinho diz que as ondas de calor intenso serão mais curtas neste ano

calor cópia (Copy)
Coutinho afirma que neste ano o verão será mais curto -
Crédito: Ciro Groh

Neste ano, o verão deve ter menos dias com temperaturas acima dos 30ºC em Brusque. De acordo com o meteorologista Ronaldo Coutinho, do Climaterra, como o país está sob o efeito da La Niña, o fenômeno favorece a entrada de ar frio mesmo no verão. “Vamos ter calor. A diferença é que em um ano normal, Brusque tem ondas de calor intenso, acima dos 34ºC, de sete a 12 dias seguidos. Neste ano, dificilmente passará de cinco dias”, afirma.

Coutinho diz ainda que, neste verão, as noites serão mais agradáveis. “Se em Brusque é normal ter dez dias com a mínima abaixo de 20ºC, talvez este ano tenha 20 dias. Teremos mais noites menos quentes e mais tardes não tão quentes. Então, o verão tende a girar em torno do normal ou até abaixo da média”, explica.

O meteorologista também afirma que o verão será mais curto na região. “O verão já deveria estar começando. Na região de Brusque, a transição da primavera para o verão começaria agora, na segunda quinzena de novembro, e o verão começa entre o fim de novembro e vai até o começo de abril. Tudo indica que esse ano o verão começa a se instalar de vez só na segunda quinzena de dezembro, mais ou menos junto com o calendário, e vai até o fim de março”.

No entanto, segundo ele, os extremos de temperatura serão mais acentuados. “Podemos ter noites relativamente frias, o que não é muito comum, mas também algumas tardes muito quentes”.

Tendência de calor

Por outro lado, os meteorologistas da Epagri/Ciram informam que os catarinenses terão dezembro e janeiro com temperaturas acima da média para o período. Apesar de novembro ter temperaturas mais amenas, inclusive com previsão de geada fraca no Planalto Sul, a tendência para os próximos dois meses, segundo o órgão, é de muito calor.

O meteorologista da Epagri/Ciram, Marcelo Martins, explica que os próximos dois meses terão dias com atuação de massa de ar mais seco, o que favorece a maior amplitude térmica diária, ou seja, a diferença entre a temperatura mínima e máxima do dia. “Teremos temperatura amena ou mais baixa para a época do ano no início do dia e bastante elevada à tarde”, diz.

Ele também destaca que até a primeira quinzena de dezembro, a previsão indica pouca chuva em Santa Catarina. No entanto, a partir da segunda quinzena, o volume de chuva aumenta e se estende até o fim de janeiro. O resultado disso será as tradicionais “tempestades de verão” que serão comuns, principalmente no fim da tarde e início da noite.

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *