Roupas e acessórios de Lya Hoffmann contribuem para o aprendizado de acadêmicos

Acervo, que foi doado à Modateca da Unifebe, ficou em exposição durante uma semana

acervo modateca (Copy)
O acervo de Lya foi doado em 2014 e pertence às décadas de 60 a 80 -
Crédito: Divulgação

Cerca de 200 peças de roupas e acessórios doados pela família do médico Germano Hoffmann e que pertenciam a sua esposa, Lya Vianna Hoffmann, estão contribuindo para o aprendizado de acadêmicos do curso de Design de Moda do Centro Universitário de Brusque (Unifebe).

Por meio da Modateca – laboratório que contém acervos de tecidos, roupas e ornamentos antigos -, os alunos têm acesso a todo o material doado pelos Hoffmann. Eles utilizam as peças para conhecer e aprender as técnicas de produção antigas.

“Os cursos de moda têm diversos laboratórios e um deles é a Modateca. Com as peças, os alunos aprendem técnicas de costuras de outras décadas. É realmente para que possam conhecer como eram as confecções, porque a moda é cíclica”, explica a professora Edinéia Pereira da Silva Betta.

O acervo de Lya foi doado em 2014 e pertence às décadas de 60 a 80. Segundo Edinéia, todo o material ficou guardado desde 1985, ano em que a esposa do médico faleceu.

 O médico Germano Hoffmann, esposo de Lya, visitou a exposição na Casa de Brusque / Foto: Divulgação

O médico Germano Hoffmann, esposo de Lya, visitou a exposição na Casa de Brusque / Foto: Divulgação

“Ficou tudo como ela deixou. Roupas, sapatos e acessórios. Então a família me chamou e eu fui até a casa deles. Eles me mostraram o acervo e pediram pra gente levar o que a gente quisesse porque eles iriam doar. Então fizemos o inverso, pedimos para eles escolherem algumas peças para ficar e levamos o resto. Há peças de marcas como a Cori e de estilistas renomados de Brusque”, conta.

Após o curso receber o acervo, a coordenação abriu uma bolsa de iniciação científica para a acadêmica Yasmin Reis, que foi responsável por estudar formas de armazenamento e catalogação do material.

“Estudamos algumas metodologias de armazenamento. Então de junho de 2014 até mês passado, ficamos estudando, higienizando e restaurando. Depois registramos tudo e fizemos uma exposição onde convidamos o doutor Hoffmann e a família”, afirma a professora.

A exposição com algumas peças de roupas e alguns do acessórios de Lya ocorreu de sexta-feira passada, 11, até ontem na Casa de Brusque. No lançamento, cerca de 80 pessoas compareceram.

“Ficou uma semana em exposição porque as peças não podem ficar em manequim, precisam ficar deitadas. São bem delicadas. Inclusive lavamos algumas que se desmancharam. Tem que ter cuidado no manuseio”.

A exposição com algumas peças de roupas e alguns dos acessórios começou na sexta-feira passada / Foto: Divulgação

A exposição com algumas peças de roupas e alguns dos acessórios começou na sexta-feira passada / Foto: Divulgação

Ainda segundo Edinéia, além da beleza das roupas, o que mais chamou a atenção dos visitantes foram as memórias oriundas das peças, sobretudo porque Lya era uma pessoa influente na moda da cidade.


Passeio ciclístico com bicicletas e roupas antigas ocorre no domingo

Já imaginou vestir um traje de época e sair pedalando por aí? Ou passar várias horas em um ambiente que parece ter saído de outra época? No domingo, 20, a Unifebe proporcionará isso a quem participar do 1º Bikenic Retrô – passeio ciclístico de bicicletas antigas e piquenique à caráter.

O passeio terá como ponto de partida a Rua do Centenário, em frente à RenauxView, às 7h30, com destino à avenida Primeiro de Maio, na sede da antiga Fábrica Renaux, onde será realizado o piquenique.

Inspirado nos anos de 1860 até 1960, o evento conta com o apoio da Fundação Cultural de Guabiruba, da Fundação Cultural de Brusque, do Sesc, do Clube de Bicicletas Antigas de Brusque, do Fórum da Bicicleta, da Casa de Brusque e do Clube de Carros Antigos de Brusque.

Resgate histórico

O 1º Bikenic Retrô tem como objetivo proporcionar resgate histórico e valorizar a cultura de Brusque e região. Durante o evento, também serão captadas imagens para o documentário “Cem anos de Moda Burguesa”, produzido por acadêmicos da 4ª fase de Design de Moda da Unifebe, na disciplina História da Moda. Caso chova, o evento será transferido.

Inscrições

A participação no evento é condicionada ao uso de trajes de época e bicicletas antigas que remetam ao início da colonização da região de Brusque, de 1860 até 1960. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelosite da Unifebe.

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *