Samae normatiza procedimento para novas ligações de água

Meta é padronizar o processo de pareceres para condomínios, loteamentos entre outros

samae
Medida visa dar maior organização na área técnica do Samae -
Crédito: Samae/Divulgação

Com o objetivo de normatizar o trâmite para a liberação de novas ligações prediais em edificações, o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) de Brusque passou a requisitar, na última semana, a entrega de um formulário para solicitação de estudo de viabilidade. O documento é encontrado na aba serviços, no site da autarquia municipal, em “Consulta prévia de água e esgoto para loteamento”.

De acordo com Juliano Montibeller, engenheiro responsável pelas vistorias e liberações de novos ramais, a medida visa, também, dar maior organização à área técnica de viabilidade. “Isso é muito bom. Vamos ter um padrão de recebimentos de projetos e informações que também irão servir para a gestão de expansão do Samae”, avalia.

Mais do que padronizar o procedimento de solicitação de estudos de viabilidade, Montibeller ressalta que a entrega dos formulários é um grande ganho estratégico do Samae, principalmente no campo das informações colhidas. “Com as consultas prévias, vamos avaliar as áreas com maior demanda de condomínios, casas geminadas, e com isso, podemos fazer um plano de ação baseado nas consultas formalizadas”.

É preciso lembrar que no caso de novos loteamentos, o formulário de solicitação de viabilidade do Samae deve ser entregue apenas após o parecer positivo do Instituto Brusquense de Planejamento (Ibplan) para o início da construção. Ainda segundo o engenheiro, a condição se faz necessária para não correr o risco de empenhar engenheiros e técnicos do Samae à toa.

“Poucos sabem como são feitas as consultas de viabilidade. Não é só um papel como muitos falam. É um estudo técnico que envolve engenheiros civis, sanitaristas, elétricos, temos de fazer um balanço hídrico. Temos que casar as informações. Às vezes, a pessoa vem no Samae primeiro, empenhamos trabalhadores do Samae para verificar, pra daqui a pouco o Ibplan dizer que é área rural, que não tem viabilidade”, pontuou Juliano.

O formulário contido no site do Samae Brusque está disponível em formato “.xls” (Excel). Após devidamente preenchido pelo engenheiro ou arquiteto do empreendimento em questão, ele deve ser entregue na unidade do Samae presente na Praça da Cidadania para que técnicos da autarquia façam o estudo de viabilidade de ligação para água e ou esgoto.

A diretora-presidente do Samae Brusque, Fabiana Dalcastagné, avalizou a medida afirmando que todas as decisões que tornem um determinado processo mais claro e célere, acabam trazendo mais conforto para os contribuintes da autarquia. “É esse o nosso grande objetivo: atender da melhor forma possível tanto aqueles que já possuem os seus empreendimentos abastecidos pelo Samae, quanto aqueles que ainda estão na fase de construção e esperam receber nossa água tratada”.


Casos em que será exigida viabilidade prévia

  • Edificações com três ou mais pavimentos;
  • Edificações com um ou dois pavimentos, que tenham área construída igual ou superior a 600 metros quadrados;
  • Postos de serviços para lavagem de veículos automotores;
  • Conjuntos habitacionais, loteamentos, desmembramentos e condomínios.

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *