Tiro de Guerra de Brusque seleciona ex-atiradores para exercício militar nesta terça-feira

Escolhidos serão incorporados ao Exército Brasileiro por dez dias

tiro de guerra brusque
Jovens, selecionado ou não, tiveram que comparecer ao TG 05-005 nesta terça-feira -
Crédito: Marcos Borges

A movimentação em frente ao Tiro de Guerra 05-005 na manhã desta terça-feira, 1, é intensa. O motivo é a seleção de ex-atiradores para a participação em um exercício militar ainda em novembro no Porto de Itajaí.

Todos jovens que serviram no Tiro de Guerra de Brusque de 2011 em diante tiveram que se apresentar para uma inspeção de saúde em outubro. Eles voltaram na manhã desta terça-feira para o resultado final da seleção, para o anúncio de quem vai ou não participar do exercício militar.

O subtenente Tomaz Jacinto Rodrigues, comandante do TG 05-005, explica que todos jovens que participaram da seleção de saúde durante o mês passado – aprovados ou não – tiveram que se apresentar nesta terça-feira para ouvir o resultado final, por isso a movimentação.

Segundo o subtenente, os oficiais do 23º Batalhão de Infantaria, de Blumenau, realizaram a classificação e seleção dos 132 atiradores de Brusque irão participar do exercício militar em Itajaí.

Eles serão incorporados ao quadro do Exército neste dia 1 de novembro e irão a Blumenau para ter instruções militares visando ao exercício em Itajaí. A desmobilização, ou seja, a liberação, dos atiradores ocorrerá no dia 11 do mesmo mês.

O subtenente do Tiro de Guerra explica que o exercício militar em Itajaí é realizado periodicamente pelo Exército Brasileiro, em diferentes regiões, e tem o objetivo de manter a tropa preparada.

E quem não compareceu?

O comandante do TG-05-005 explica que existem duas situações para quem não compareceu ao chamado do Exército. O primeiro caso é do atirador que deveria ter se apresentado em outubro, para a seleção e inspeção de saúde, mas não fez.

Neste caso, explica o subtenente, o atirador deve apenas comparecer à Junta Militar do município (em Brusque, fica no TG) e apresentar o seu certificado de reservista. Será cobrada uma taxa de menos de R$ 5 e a situação será regularizada.

O segundo caso é do atirador que passou pela inspeção de saúde, porém, não foi ao Tiro de Guerra no dia 1 de novembro para saber se iria ou não para o exercício militar. Além de comparecer à Junta Militar do município com o certificado e pagar a taxa, ele terá de apresentar uma justificativa para a falta.

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *