Trabalho de cabo voluntário garante renda de mais R$ 1 mil em Brusque

No entanto, partidos contratam poucas pessoas por causa do barateamento das campanhas

cabos eleitorais (Copy)
Serviço de cabo eleitoral exige disposição -
Crédito: Ed Carlos

Em tempos de crise e de desemprego em alta, o trabalho temporário de cabo eleitoral se apresenta como uma oportunidade de conseguir algum dinheiro. Em Brusque, as coligações dos candidatos que concorrem à prefeitura pagam acima de R$ 1 mil para quem se habilita a ser um “embaixador” das campanhas.

O Partido dos Trabalhadores (PT) contratou dez pessoas para o serviço de entrega de material de campanha. De acordo com a sigla, o trabalho é semelhante ao do cabo eleitoral tradicional. “O ‘cabo eleitoral’ contratado tem como função principal a entrega do material de campanha nas casas de todo o município”, explica a chapa.

De acordo com a campanha, os contratos foram firmados com tempo determinado, pois as eleições ocorrem no dia 2 de outubro. Os primeiros foram assinados por volta de 20 de agosto. “Foi acordado o valor de R$ 1,2 mil por mês de trabalho”, informa, por e-mail, a coligação.

Os cabos eleitorais não precisam ter uma característica específica. Basta que sejam maiores de idade e tenham disposição para caminhar bastante. “Neste ano, em razão das peculiaridades desta campanha eleitoral, com menor número de contratações, além da tradição de reiteradas participações em pleitos municipais, muitos dos contratados já são conhecidos de outras eleições”, diz o PT de Brusque.

A coligação “Renova, Brusque”, que tem Jadir Pedrini (PROS) como candidato a prefeito e Roberto Prudêncio Neto (PSD) a vice, também contratou cabos eleitorais para ajudar na campanha. Segundo informa por meio de nota, são 20, com vínculo até o dia 30 de setembro.

De acordo com a coligação, o salário dos cabos eleitorais pelo mês de trabalho é de R$ 1.050. Os assistentes da campanha devem ser maiores de idade e ter um bom “relacionamento com a comunidade”. Além disso, eles devem se identificar com as propostas de governo do PROS e PSD.

É tarefa dos cabos eleitorais andar pela cidade divulgando as propostas de Jadir Pedrini e Prudêncio para a cidade, informa a assessoria da coligação.

Voluntariado

O PT de Brusque diz que há alguns voluntários trabalhando na campanha, além dos contratados. Segundo o partido, eles fazem a entrega de material político e acompanham os candidatos durante a campanha por afinidade.

O Solidariedade informa, por meio de nota, que não contratou cabos eleitorais para as eleições que se avizinham. De acordo com o partido, as pessoas que trabalham na campanha o fizeram por afinidade, sem remuneração.

A reportagem enviou e-mail a todos os candidatos e coligações, respeitando a igualdade de oportunidade, no entanto, não houve resposta dos demais até o fechamento desta matéria.

Sem Comentários

Sem Comentários!

Não existem comentários ainda, mas você pode ser o primeiro a comentar esta notícia.

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *