Votação do movimento separatista O Sul é Meu País tem grande adesão em Brusque

Dos 6.630 eleitores que foram às urnas no município, 91,6% votou “sim” para a mudança

Movimento
No último sábado, dia 1º, 22 urnas foram espalhadas pelos principais bairros de Brusque -
Crédito: Divulgação

Com 91,6% dos votos, Brusque aprovou a separação entre os três estados do sul e o restante do Brasil e a consequente criação de um novo país. Ao todo, 6.630 pessoas foram às urnas na cidade no último sábado, 1, para participar do Plebisul – eleição organizada pelo movimento separatista O Sul é o Meu País.

Em Brusque, 22 urnas ficaram à disposição dos eleitores das 8h às 17h. Durante o período, 48 ativistas trabalharam nos locais de votação. Segundo o coordenador geral do movimento, Celso Deucher, o número de votantes e o número de votos a favor superaram as expectativas da organização.

“Nossa metal inicial era dois mil votos. E isso foi batido com êxito. Batemos a meta e superamos ela. Isso deu uma grande demonstração de apoio à proposta. Tivemos famílias inteiras saindo de casa só para votar na ideia. E isso pra nós foi uma declaração de apoio”, afirmou.

Assim como o município, as demais cidades de Santa Catarina, do Paraná e do Rio Grande do Sul também votaram nos mesmos dia e horário. Até agora, na soma dos três estados, 400 mil pessoas foram às urnas. De acordo com Deucher, o resultado final ainda não foi apurado e a expectativa é atingir 700 mil votos.

Mandados de prisão

Nos três dias que antecederam a votação, O Sul é o Meu País sofreu grande pressão por parte da segurança do estado, de acordo com Deucher. O coordenador do movimento conta que ele recebeu três mandados de prisão.

“Esses mandados eram para impedir que o plebiscito acontecesse. Aqui em Brusque não deu problema, mas em mais de 50 cidades de Santa Catarina não conseguimos realizar as votações porque os delegados proibiram. A Secretaria de Estado de Segurança distribuiu ordem mandando prender quem estivesse na rua e isso criou um clima difícil”, disse.

Nos três estados, o movimento “perdeu” cerca de 200 cidades devido às proibições. No Rio Grande do Sul, conta Deucher, um juiz não deixou realizar o Plebisul porque alegou que colocaria em risco as eleições municipais.

Próximo passo

Com o resultado positivo em mãos, o movimento separatista realizará assembleia no dia 16 de outubro. Na discussão, será decidido o próximo passo. Uma das providências já adiantada pelo coordenador envolve a conscientização do governo federal sobre a opinião de parte dos sulistas a respeito da criação de um novo país.


20161004_09_ge

6 Comentários

  1. Avatar
    Luka outubro 04, 2016

    Isso cheira a guerra civil. Tudo que os Titereiros de plantão querem de seus bonecos mamulengos (está no roteiro…lol…).
    Agora com tudo quebrando, querem abandonar o barco, fácil ser patriota assim!

    O tão sonhado golpe do Foro de São Paulo /Comunista/ Socialista: jogar cidadão contra cidadão, com derramamento de sangue (já aproveitam e reduzem a população – “Senhores do Mundo Expertos”)! #SQN

    Saiam dessa Matrix, “pelo amor”! (como se diz aqui em Brusque/SC)

    Minha parte eu fiz: AVISEI!

    R.I.P

  2. Avatar
    Hedio outubro 04, 2016

    Agora anotem os nomes desses delegados e afins para que no dia da independência vocês possam se lembrar deles ;-)

    • Avatar
      Luka outubro 04, 2016

      E eu usando o velho (..lol…) de 1986 para representar um sorriso Tu é cracker ou hacker? (…lol…) #esperto… licença para tentar quebrar o segredo do seu ícone. Muito malandramente demais!

  3. Avatar
    Cintia outubro 04, 2016

    Poxa gente, pensem na economia e nos políticos ruins que vieram do Sul #DILMA é um exemplo. O Sul economicamente não é tão auto suficiente para se separar como pensando que são. Acredito que as pessoas que estejam fazendo isso, não tem pelo menos noçao de.política, economia e.impostos. Pois, quem tem, já sabe que isso vai dar problema. Isso está com cara mais de status do que a real necessidade da separaçao. Sou do Sul e não apoio o movimento.

  4. Avatar
    Clara Comandolli de Souza outubro 05, 2016

    Que jornalismo fraquinho heim, Município? Como assim Brusque aprovou a separação se nem 10% do número de habitantes participou da votação? Claramente Brusque é contra a separação e certamente muitos, assim como eu, acha a ideia tão tosca que nem sequer perdeu o tempo de sair de casa para votar. Além disso vocês poderiam ter falado da falta de legitimidade de uma votação como essa, que não exigiu nem mesmo número de CPF ou título de eleitor. Ta aí a prova disso: maruim.org/2016/10/04/plebiscito-separatista-barrado-pelo-tre-e-realizado-informalmente-na-regiao-sul/

  5. Avatar
    Pablo outubro 06, 2016

    Grande vitória para o movimento libertário! Mesmo que tal separação não ocorra, tal iniciativa só vem a fortalecer o liberalismo clássico, no Brasil. Finalmente o povo acordando… Estado grande não funciona. Cabe lembrar que esse tipo de movimento já existe noutras partes do país. Espere mais gente lendo Von Mises e Rothbard…

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *